» » Pássaro é Oxítona, Paroxítona ou Proparoxítona?

Pássaro é Oxítona, Paroxítona ou Proparoxítona?

Pássaro é uma palavra comum da língua portuguesa que ainda causa dúvidas quanto a sua classificação gramatical. Nesse caso, ela é enquadrada como uma proparoxítona, e o motivo para essa especificação você vai poder entender logo abaixo, ao decorrer desse post!

 

Motivos para pássaro ser uma proparoxítona:

Um detalhe importante para começar essa explicação é que todas as proparoxítonas são acentuadas, seja por acento agudo ou circunflexo. Outro critério que nos permite identificá-las é que sua antepenúltima sílaba é a tônica da palavra, ou seja, a dita com uma entonação de maior força diante das outras.

Outros exemplos disso, além de pássaro, são: música, bárbaro, enérgico, lágrima, mínimo e próximo, dentre muitas outras possibilidades ao longo do nosso idioma.

 

Exemplos:

  • Vi pássaros voando no céu nesta manhã.
  • Não sou a favor de que mantenham pássaros em gaiolas.
  • Pássaros é uma forma geral de identificar diversas espécies.
  • O canto dos pássaros embalam as manhãs.

 

Como identificar uma paroxítona:

As paroxítonas são identificadas a partir da presença da sílaba tônica na antepenúltima sílaba da palavra a qual se refere. Curiosamente, elas são a maior parte dos vocábulos do nosso idioma e, ao contrário das proparoxítonas que te explicamos anteriormente, não costumam possuir acentuação. Alguns exemplos desse grupo são: Cansaço, felicidade e recorde.

 

Como identificar uma oxítona:

Nas oxítonas, a última sílaba é aquela que possui uma entonação mais forte, podendo conter acentos ou não. Palavras como cristal, botox, chapéu, cupom e abacaxi são alguns dos diversos exemplos dos termos enquadrados nesse grupo.

Atualizado em: 01/03/2022 na categoria: Semântica